principais projetos

Despoluição do Rio Tietê | SABESP

Gerenciamento da 1ª, 2ª Etapas e Obras Complementares

SABESP - Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo

Região Metropolitana de São Paulo – Estado de São Paulo, Brasil

1992/2009

O Projeto de Despoluição do rio Tietê desenvolve-se na Região Metropolitana de São Paulo, dentro do Sistema Integrado de Coleta e Tratamento de Esgotos, compreendendo uma região de 17 municípios, incluindo o de São Paulo, totalizando uma população atendida de aproximadamente 20 milhões de habitantes.

 

O Programa do Empreendimentos da 1ª Etapa, no valor de US$ 900 milhões, contou com financiamento parcial do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento de US$ 450 milhões somado a uma contrapartida local de mesmo valor. Tratou-se do gerenciamento da execução de um conjunto de empreendimentos, incluindo as seguintes obras:

  • Construção da Estação de Tratamento de Esgotos de São Miguel (1º Módulo) com capacidade de 1.500 l/s;
  • Construção da Estação de Tratamento de Esgotos do Parque Novo Mundo (1º Módulo) com capacidade de 2.500 l/s;
  • Complementação do 1º Módulo da Estação de Esgotos do ABC com capacidade de 3.000 l/s;
  • Ampliação da Estação de Tratamento de Esgotos de Barueri de 7.000 l/s para 9.500 l/s;
  • 37 km de interceptores de esgoto, com diâmetros variáveis de até 3.000 mm;
  • 315 km de coletores-tronco, com diâmetros variáveis de até 2.000 mm;
  • 12 estações elevatórias intermediárias de esgoto com potência variável de 50 CV a 350 CV cada uma;
  • 1.500 km de redes coletoras de esgotos e 248.000 ligações domiciliares

 

A 2ª Etapa e as Obras Complementares do Projeto de Despoluição do Rio Tietê tiveram por objetivo ampliar a cobertura em coleta e tratamento de esgoto na Região Metropolitana de São Paulo e contou com financiamento parcial do BID, no valor de US$ 200 milhões e contrapartida da SABESP no valor de US$ 257,6 milhões, sendo que US$ 100 milhões, foram financiados pelo BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Nesta Etapa foram priorizadas novas obras de coleta de esgotos, bem como obras de condução de esgotos coletados para as Estações de Tratamento de Esgotos, construídas ou ampliadas na 1ª Etapa do Projeto, o que compreendeu o seguinte programa de obras:

  • 2ª Etapa
    • Obras
      • 1200 km de redes coletoras e 290.000 ligações domiciliares correspondentes, sendo: 710 km no Sistema Barueri, 160 km no Sistema Novo Mundo, 180 km no Sistema São Miguel, 110 km no Sistema Suzano e 40 km no Sistema ABC, além de 60 estações elevatórias, sendo 3 de grande porte;
      • Acompanhamento de 290 ligações industriais;
      • 106 km de coletores tronco, sendo: 90 km no Sistema Barueri, 5,7 km no Sistema Novo Mundo, 6,0 km no Sistema São Miguel e 4,3 km no Sistema Suzano;
      • 36 km de interceptores, sendo: 33 km no Sistema Barueri e 3,0 km no Sistema ABC, com diâmetros variáveis de 1.000 a 3.500 mm;
      • Melhorias na Estação de Tratamento de Barueri.
    • Atividades destinadas ao Melhoramento Operacional da SABESP
      • Desenvolvimento das tecnologias apropriadas para o tratamento e disposição final de resíduos líquidos;
      • Implantação de um sistema georeferenciado de informações;
      • Monitoramento de coletores principais;
      • Programa de conexões intra-domiciliares;
      • Programa Piloto para o cálculo da eficiência e viabilidade econômica do controle de perdas.
    • Estudos Especiais
      • Desenvolvimento de Estratégias para o Setor de Saneamento Básico no Estado de São Paulo;
      • Cálculo de Tarifas para o Uso Racional da Água;
      • Programa de Educação Ambiental destinado à conscientização da população.
    • Obras Complementares
      • 466 km de rede de esgotos;
      • 55 km de coletores;
      • 34.000 ligações domiciliares;
      • 2 km de interceptores;
      • 42 estações elevatórias.
  • Coordenação Geral;
  • Coordenação de Planejamento:
    • Planejamento, programação e controle físico-financeiro;
    • Sistema de informações gerenciais;
    • Consultoria técnica às negociações com o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID;
  • Coordenação de Projetos:
    • Gerenciamento da execução dos projetos, envolvendo a interface projeto/obras/suprimentos.
  • Coordenação de Obras e Montagem:
    • Gerenciamento e fiscalização da execução das obras, envolvendo a supervisão dos serviços de montagem e o controle tecnológico das obras.
  • Apoio Administrativo/Financeiro à SABESP:
    • No desenvolvimento dos empreendimentos e apoio às ações de remoção e reassentamento da população.
  • Coordenação de Suprimentos (1ª Etapa)
    • Gerenciamento da aquisição dos materiais e equipamentos
  • Coordenação da Indústria Privada (1ª Etapa)
    • Elaboração de Cartas Temáticas com representação cartográfica das indústrias inseridas no Programa de Despoluição do rio Tietê;
    • Acompanhamento das atividades de Implantação dos Sistemas de Tratamento em apoio às ações de controle da CETESB e do Sistema de Tratamento de efluentes com financiamento do PROCOP/BNDES.
  • Coordenação da execução dos Convênios SABESP/CETESB e SABESP/SRHS (2ª Etapa);
  • Transferência para a SABESP de tecnologias de informação utilizadas para o Gerenciamento. (2ª Etapa).
Tietê - Novo Mundo
Tietê - Novo Mundo
Tietê - Novo Mundo
Tietê - Novo Mundo
Tietê - Novo Mundo
Tietê - Novo Mundo
Tietê - Novo Mundo
Tietê - Novo Mundo
Tietê - Novo Mundo
Tietê - Novo Mundo
Tietê
Tietê
Tietê
Tietê
Tietê
Tietê
Tietê
Tietê
Tietê
Tietê
Tiete
Tiete